sábado, 14 de julho de 2018

PARA O CARA DA MINHA GAROTA.

É amigo (será que posso te chamar assim?), acho que chegou o momento inevitável de nós conversamos - ou só eu escrever e você ler, tanto faz.
Talvez você não saiba quem sou, e tudo bem, eu também não gostaria de saber quem é você, mas acontece que é difícil esquecer velhos hábitos, e eu ainda tenho aquela mania boba de querer saber da vida dela.
Será que devo me desculpar por amar a mesma mulher que você? Será que devo me desculpar por não conseguir esquecê-la? Será? Varias perguntas... Nenhuma resposta.
Dia desses ela postou uma foto segurando sua mão e uma taça de vinho, e eu sei exatamente o que acontece depois daquilo... Ela começa a rir de uma maneira irresistível, e você fica se perguntando como pôde viver tanto tempo sem aquele sorriso.
Você é um cara de sorte, lembre-se todos os dias disso, e lembre- se que existe alguém que daria tudo e qualquer coisa para estar no seu lugar - porque acredite, sempre existe.
A esta altura do campeonato você já deve saber que ela odeia que você não tire a meia na cama, e também deve saber que ela gosta de escolher suas cuecas. Deve saber que ela canta músicas internacionais em uma língua que só ela entende, mesmo assim você escuta, porque a voz dela acalma a sua alma. Deve saber que ela discute sobre assuntos que não sabe direito, e você se pergunta constantemente como ela consegue falar tão bem de algo que ela conhece tão mal. Ah, e já sabe que não se deve criticar o time dela, ou o Leonardo DiCaprio, porque ela é uma daquelas torcedoras e fãs loucas que não aceitam opinião contrária. Já deve ter se acostumado com a indecisão dela, e a mania que ela tem de culpar o signo por tudo. Por falar em signo, tenho certeza que você aprendeu sobre eles só para tentar entender a cabeça dela. Eu sei, ela faz isso com a gente, tem aquela mania de controlar nossos sentimentos mesmo quando insistimos em negar.
Acredite, chegará o dia em que você entenderá mais sobre signos, cor de esmaltes e moda do que você pode imaginar.
Tenho certeza que você já deve saber que ela sempre chora com filmes de romance, e que a grande maioria das vezes você vai ter que ajudá-la a acalmar os nervos e aquietar o coração. Ela é menina-mulher, faz beicinho na mesma medida que fala palavrão.
Ela te mandará embora em algum momento, vai gritar que você é egoísta e insensível quando estiver na TPM , mas se quer um conselho, não vá. No fundo ela precisa de alguém que lute por ela, alguém que escolha ficar mesmo quando ela mandar embora.
Ela faz aquele barulho estranho quando gargalha, os olhos se curvam igual bambu e você fica perdido naquele sorriso, tão perdido que não consegue achar o caminho de volta, tudo que você quer é fazê-la sorrir mais e mais vezes. Eu conheço essa sensação... A vontade de não larga-lá nunca mais, mas principalmente, conheço a sensação de vazio quando acordo na madrugada e não sinto as pernas dela por cima de minha barriga. Não desejo isso a ninguém, nem mesmo a você.
Ela não quer um dono, ela quer um companheiro. Quer continuar sendo dona de si mesma, quer continuar sendo o amor da vida dela, mas quer que você esteja lá para amá-la também. Quer sua companhia no café da manhã, e quer que você fique para o jantar. Quer que você diga que a ama sem que ela precise pedir, sem que ela precise implorar. Ela quer mais que “eu-também” , para ela “eu-também” não é “te-amo” é obrigação e convenhamos, ela merece mais do que comodidade. Ela não quer competir, não quer saber quem ama mais ou ama menos, ela só quer ser amada, a quantidade pouco importa, afinal, cada um ama a sua maneira.
Eu a amava e amo em silêncio, talvez você a ame gritando. Se quer saber, eu me arrependo de não ter gritado também.
Ela quer se cuidada, mas não quer ter que pedir por isso, você terá que aprender a decifrar sinais, desvendar mistérios, diferenciar sorrisos e principalmente entender a mente dela. Ela é carente. Talvez ela te ligue só para dizer que sente sua falta, e mesmo não sabendo receber elogios ela precisa que você a admire, não apenas fisicamente. Costumo dizer que não é vaidosa, se recusa a usar maquiagem demais e é isso que mais gosto nela, sua naturalidade, sua leveza e como ela consegue ficar linda com uma camisa larga e um short de moletom.
Tê-la é uma daquelas chances que só acontecem uma vez na vida, perdê-la é uma daquelas situações que você não consegue superar, mesmo que tente muito. Se quer um exemplo, é só olhar para mim. Não estou escrevendo essa carta para me depreciar ou com a intenção de te fazer meu psicólogo, na verdade, basta olhar minha vida que você perceberá que falta algo. Algo não, falta ela. Falta as pequenas coisas que ela fazia para me agradar; como quando ela me acompanhava no japonês mesmo detestando culinária oriental, ou quando ela assistia ao jogo do Cruzeiro para me fazer companhia. Falta a zoação quando o Flamengo ganhava e o sorriso convencido de quem dizia “eu-te-avisei” e falta a cara de poucos amigos quando era eu quem estava com o sorriso de “mais-uma-copa-do-brasil-pra-conta”. Ela tinha mania de achar que eu era mais importante do que realmente era, depositava uma fé em mim que nem mesmo minha mãe deposita, acreditou em mim até o último segundo daquela terça-feira trágica em que, cansada de não ser o suficiente, sabendo que merece mais, ela me deixou.
Quer saber um segredo? Ontem foi o dia da minha formatura no curso superior, eu varri toda a plateia com os olhos querendo encontrar os olhos dela. Mas ela não estava lá. Então eu suspirei, e fiz meu discurso de como a faculdade mudou a minha vida. Uma grande mentira, quem mudou minha vida foi ela. Cheguei em casa cansado demais para tentar comemorar, e a primeira foto que me apareceu foi uma de vocês. Nesse instante, meu amigo, eu percebi que perdi. Perdi o sorriso que ela me dava sempre que sabia que eu estava a observando, perdi a mania que ela tinha de usar minhas camisas depois da transa. Perdi o cheiro de camomila que emanava dos cabelos dela. Perdi as chances que ela me deu de provar que ela era suficientemente suficiente para mim. Para qualquer um. Perdi a chance de viver a vida ao lado dela. E você ganhou. Olha que irônico, eu perdendo e você ganhando. E eu tendo que me acostumar com a ideia de que a partir de agora todos os sorrisos que ela der, vão ser para você. Seria cômico, se não fosse trágico.
Eu sei, vai passar. Talvez eu encontre alguém que ame tanto quanto a amei, mas não muda o fato de que sempre que olhar pra ela, vou me lembrar daquela menina doce, com os cabelos longos presos no alto da cabeça, com os pés descalços andando pela casa, e a mania de arrumação que ela tinha, como ficava vermelha quando recebia um elogio, ou até mesmo depois do orgasmo, e vou invejar você, ou qualquer outro cara que estiver ao lado dela. Como eu disse, meu amigo, ela é sorte de uma vez na vida, faça valer a sua chance.

Nenhum comentário:

Postar um comentário