quarta-feira, 30 de maio de 2018

O trem da vida.


As vezes a vida testa a gente. 
Eu sei que parece uma frase de tabloide para autoajuda, mas é verdade. A vida tem maneiras inimagináveis para testar nossa força, nosso amor, nossa capacidade de sobrevivência, nosso limite, nossa fé... e outras mil coisas que se é capaz de testar quando ela nos impõe uma turbulência ou até mesmo uma experiência nova.
A vida é isso, é mais que uma caixa de surpresa, a vida é um trem descarrilado, que a gente não sabe como vai terminar ou quando vai terminar. Não sabemos se temos uma rota grande ou curta, só sabemos que somos passageiros querendo ou não, e que não adianta tentar adivinhar ou pular. Ela não nos dá a opção de rebobinar as coisas ruins, como nos filmes, nem pausar nos momentos em que precisamos de pausa, tampouco viver em câmera lenta os melhores momentos.
Às vezes esse trem passa por jardins lindos, e nele você tem as maiores experiências de vida que se pode ter. Amar. Ser mãe. Ter uma família. Conhecer pessoas. Fazer muitos amigos. Conservar aqueles que realmente valem a pena. Sonhar. Ser alguém. Ter orgulho de quem você se tornou, ou tempo para mudar e se tornar alguém melhor. Nesses momentos o que podemos fazer é aproveitar.
Aproveite aquele carinho de quem você ama, aproveite o sorriso que seu filho te deu hoje de manhã, aproveite as inúmeras vezes em que ele te chama, pelo simples fato de seu nome ser tudo que ele conhecer. Aproveite a faculdade, aproveite as risadas com os melhores amigos, aproveite as festas para conhecer quantas pessoas você conseguir conhecer, e talvez, quem sabe, mudar a vida de alguém para melhor. Aproveite para se divertir sempre que tiver oportunidade, e não se esqueça de sempre ter um tempo para fazer algo que você verdadeiramente gosta. 
Aproveite os sorrisos, não se esqueça de guardar consigo cada pequena parte, cada pequeno gesto, cada pequeno detalhe de quem você ama e de tudo que você ama. Um dia, isso vai te fazer falta, e se você guardar dentro de si um pouco dessas coisas, sempre terá onde recorrer. 
Lembre-se de que, só vive bem quem tem tem histórias para contar... Por esse motivo, viva! Viva e faça história. Viva para fazer história. Viva para ser lembrado. 
A vida não é curta, o tempo é curto. Você pode ter vivido muito e não ter tido tempo de fazer nada, pode ter vivido pouco e ter feito tudo que pôde em um curto período de tempo e pode ter vivido muito e ter aproveitado o tempo todo, tudo que lhe era dado. 
A vida é para quem sabe ser grato. E só é grato quem tem consciência da raridade que é acordar todos os dias, respirar e poder fazer tudo que ainda não conseguiu fazer e refazer tudo que já fez. 
A fase de jardim acontece varias vezes, nesse passeio você irá conhecer as melhores flores, os melhores perfumes, a temperatura dos raios solares, a capacidade iluminadora que tem as estrelas. Mas há também a fase das cavernas escuras. A perda, a dor, a decepção, o medo, o vazio, a morte. E nesses momentos é que a vida testa sua sobrevivência, a vontade que você tem de estar vivo, a sua fé. O tamanho do seu medo, e se esse medo é capaz ou não de te paralisar. A vida te obriga a fazer escolhas. Muitas que você nem quer fazer. 
Nesses momentos, nos momentos em que você não conseguir enxergar nada além da sua dor, do seu sofrimento, do seu medo... Lembre-se daqueles momentos de luz. Abra aquela caixinha de memórias que você tem dentro de você, aquela que eu disse que seria importante em algum momento, abra e veja a felicidade, abra e lembre-se do sorriso de quem você ama, sinta o perfume da sua flor preferida, o gosto da sua comida favorita, e não desista. 
Diga a vida que você é mais forte do que aquela caverna, e que ela precisará de muito mais do que um escuro passageiro para te fazer perder a esperança. 
Seja teimoso. Brigue. Lute. Respire e a cada respiração agradeça e não se esqueça de que Deus sempre estará com você nesse trem, principalmente nos momentos em que você jurar que não consegue ver ninguém além de si mesmo. 
Ele está lá. Está aqui. Sempre estará. 
Apenas viva e deixe o trem seguir a rota. 
Na dor lembre-se: Há muito mais do que isso. Você sabe, você já viu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário