terça-feira, 13 de junho de 2017

Culpado

Existe aquele momento único, aquele que você levanta a cabeça, olha para aqueles olhos, vira pro lado, olha de novo e pensa que poderia olhá-los pelo resto dos seus dias. É eu sei, é esse olhar que faz você perder a cabeça, que quando você percebe, já não existem outros olhares, você sente seu corpo fora do compasso ardendo em chamas, e sorri pois já fazia tanto tempo desde o último.
Então você vive na sua cama cada momento que nunca irá acontecer, os mais fofos, os mais quentes, fantasia menina, pois isso será memorável apenas em tua memória, e esquecido quando a sua decepção tornar-se uma arma de guerra apontada para tua cabeça.
Conseguiu sentir o que é aquele olhar?  Aquela menina sentiu na pele, nos músculos, nos ossos e nos órgãos.
É você sentiu ele, ela acreditou que você teve aquele mesmo olhar, aquela tremedeira na mão, ela achou que você sorriu de nervoso, e talvez aquele olhar tenha te tirado o ar, mas você não queria apenas um grande amor, um olhar, você queria todos, desejou todos, até os que eram simples olhares você deu um jeito, ela nunca pensou que você faria bom proveito das suas seis horas de expediente.
E se o vento tivesse soprado o som do teu nome no ouvido dela, ainda assim não teria acreditado, ela fantasiou sim, mas sabia até onde historias infanto-juvenis eram verdades, a reciprocidade não é algo comum na sua vida. E mesmo que as estrelas formassem seu rosto no céu numa noite sem nuvens, ela ainda assim não teria acreditado, a tolice não lhe acertava tão facilmente, mas quando o sopro veio de tua boca e o rosto projetado foi o dela em teu olhar, ela acreditou, acreditou sem dúvidar, sem criticar ou pestanejar, mal sabia que você tinha o dom das estrelas de encantar e do vendo de levá-las embora.
Que pena, eu me sinto mal em contar-lhe o quanto você foi tolo, usou o mesmo truque com todas.
Ela se apaixonou de vez quando você sorriu e ela ficou com as bochechas rosadas, quando ela se aproximou e tu sem pensar beijou-lhe os lábios, lábios macios, de tal forma que os pés dela não estavam mais no chão, como se tocar o céu fosse mais do que simplesmente possível, foi ali que ela viveu cada sonho, cada produto da sua imaginação fértil, foi ali que ela encontrou a paz.
Mas como disse, você ainda tinha 6 horas de expediente, milhares de olhares para responder, e o dom de levar todo o encanto das estrelas embora.
Ela acreditou em vocé, sentiu que não era apenas aquilo, sabe "aquilo", de maneira desprezível.
Eu te pergunto aqui e agora, até onde iria por amor? 
Ela foi até a fronteira do céu e inferno, vivenciou os dois lados ao mesmo tempo, até quando suportaria? Lembrar de como era o céu e olhar a sua volta e se ver sozinha no inferno, dias depois ou até mesmo 6 horas depois, isso a destruia.
Talvez para que todos os seus pedidos se realizassem bastava derramar uma lágrima como prova de amor, eu vi a primeira, eu vi todas, uma por uma cair.
Sabe até onde ela iria por amor? Até aqui, ela veio até aqui te olhar pela ultima vez, lembrar o quanto ela se via feliz com você, e apesar de te odiar quando olho nos seus olhos ainda vejo o que ela, digo, eu senti.
Eu rezei, orei, fiz coisas que eu nem posso dizer, fui forte, mas não adiantou.
E finalmente chegou aquele momento que todos disseram que chegaria, o dia em que eu desistiria de você, por mais que negasse e te desejasse, não foi o suficiente.
E se você era o motivo de tudo, foi o motivo do que aconteceu-me quando cheguei aqui e te vi perder o chão, me vi em frente uma gaveta de facas, seria rápida pois não havia tempo, seria profundo para conseguir tirar você de dentro, assim eu parti, sabe aquele olhar? Morreu.
Entende? Ela morreu, ela se foi, e eu estou finalmente livre da felicidade ilusória que me matava a cada segundo.
Apenas vim aqui para te falar que mais trezentos me matarão e aquela garota acreditou fielmente que você seria o salvador, ela te viu como um grande castelo e agora é apenas uma ruína, ela viu um reino cheio de fartura, que agora clama por algo real.
Aliás, na verdade não foi suicídio, foi homicídio, mas as leis do coração quem dita sou eu, então tenha sucesso nas tuas seis horas de expediente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário