sábado, 17 de junho de 2017

AME GRANDE


O amor é o ridículo da vida, já dizia Cazuza muito antes de eu entender o que era amor. Se você não quer parecer ridículo, não ame.
O que além do amor te faz ficar olhando para alguém como um idiota? O que além do amor te faz ficar ao telefone em uma competição ridícula de quem desliga primeiro: " - Desliga você! -Não, Desliga você!" E acaba que nenhum dos dois desligam e aquilo vira só um motivo para ficar mais alguns minutos pendurados ao telefone. O que além do amor te faz suspirar só em imaginar alguém? O que além do amor te faz tremer só em ouvir uma voz? O que além do amor te faz cometer loucuras, parecer um idiota, falar como um idiota, fazer planos como um idiota, e querer ser amado como um idiota?
Amar é correr o risco de viver sendo ridículo, e mesmo assim não se importar. Talvez você diga que nunca mais será ridículo novamente, mas vai descobrir com o passar dos anos, e das pessoas que amar, que cada novo amor é, na verdade, uma nova chance de ser e parecer ridículo, e acredite, você será ridículo.
Quer saber, eu também quero ser ridícula. Quem não quer?
Eu quero me casar. Me imagino na varanda da minha casa, sentada, olhando feito idiota o homem da minha vida brincando com nossos filhos. Me imagino pensando agradecia: - Puta que pariu! Como eu tive sorte de encontrá-lo!
Sim, eu me imagino deitada na rede com ele, fazendo cafuné, contando histórias bizarras da adolescência e ouvindo ele dizer entre um sorriso e outro: “- Que bom que você me encontrou… Salvei sua vida da melancolia.”
Eu me imagino esperando ele chegar do trabalho, completamente nua, na nossa cama, louca de saudade, louca de vontade e nervosa como se fosse nossa primeira vez. Todos os dias serão nossa primeira vez. Todas as vezes que fizermos amor, será como se não fôssemos fazer mais. Para que assim, possamos aproveitar mais.
Quero aproveitar dele cada sorriso, cada cara safada, cada pequeno espasmo quando ele gozar. Gozaremos e desfrutaremos de cada milímetro do nosso tesão... Juntos!
Quero almoço de domingo na casa da sogra, todo mundo conversando junto, todo mundo rindo junto, e ele me olhando apaixonado enquanto abraço a mãe dele, não sabendo qual de nós duas ele ama mais.
Quero um filho com o homem que amo, com o homem que escolhi para passar a vida, mas quero mesmo é aquela sensação gostosa dele me acordando só para fazer carinho na minha barriga, e quero também aquela coisa ridícula que os pais fazem enquanto conversam com o bebê.
Quero alguém para me apoiar, para dizer que vou conseguir, para me motivar a escrever um livro mesmo achando que eu nasci para brigar em um tribunal.
Quero alguém que me lembre todos os dias o quanto eu sou linda, o quanto sou amada, e nem precisa ser dito com palavras, alguém que mesmo sem querer, sem intenção, consiga me fazer sentir a mulher mais especial do mundo.
Quero ser a escolha de alguém. Quero ser o sorriso de alguém. Quero ser o sonho de alguém. Quero entrelaçar meus dedos nos de alguém que nunca, em hipótese alguma, os soltará. Quero ser a razão de alguém parecer idiota também.
Quero endereçar todas as coisas lindas que eu escrever para alguém. Quero que cada texto meu fale da alegria que é viver com ele, ser amada por ele, encontrá-lo na minha cama todas as manhãs, tardes e noites. A alegria que é amá-lo também.
Quero surpresas. Quero fazer surpresas. Quero comemorações em datas especiais, e em datas não especiais também.
Quero preparar o café. Fazer aquele bolo que ele mais gostar, adoçar o suco do jeitinho que ele ama. Tornar todos os nossos dias, em dias especiais.
Quero uma música só nossa. Aquela que ao tocar vamos cruzar nossos olhos, sorrir, e nos lembrar com carinho de todas as coisas que já fizemos juntos. Quero fazer amor escutando ela.
Quero um dia inteiro com ele embaixo das cobertas. Fazendo carinho, rindo de bobagem, falando bobagem, sentindo o cheiro, o gosto. Fazendo amor e falando de amor mesmo sem pronunciar uma única palavra.
Quero sair com os amigos dele. Rir das bobagens que eles falam. Viajar para um lugar especial.
Quero amá-lo todos os dias que merecer, mas quero amá-lo ainda mais nos dias em que não merecer. Quero que ele lute por mim, por nós, e me ajude a remar nosso barco mesmo quando acharmos que vamos naufragar. Porque o amor é isso, o amor é a constante luta para sobreviver… Juntos. No amor não existe a possibilidade de só um escapar ileso das tempestades. Se ele pula, eu pulo. E juntos vamos superar quaisquer obstáculos. Quem foi que disse que o amor só é bom se for bonito?!
Eu quero que exista amor nos momentos de alegria, de sorrisos intermináveis, de família reunida, de fotos para marcar histórias… Mas quero, principalmente, que exista amor nos momentos de tristeza, de lágrimas dolorosas embaixo das cobertas, de saudade, de brigas… Quero que o amor seja o suficiente para que ele volte para casa depois de uma longa discussão em que ambos passemos dos limites. Quero que ele entenda que nunca devemos dormir brigados, e que o lugar dele é ao meu lado, em nossa cama. Com amor nós superaremos tudo.
Quero cozinhar junto com ele. Realizar aquele fetiche dele me abraçando pelas costas e me fazendo carinhos em lugares que antes dele eu desconhecia, tudo isso enquanto eu preparo nosso jantar. Quero sexo na cozinha, na mesa que vamos jantar daqui meia hora. Quero estar sempre disposta para ele. Quero ser lembrada que sou dele, porque ser dele me lembra o quanto sou minha, o quanto meus desejos são meus e dele. Meus com ele.
Quero lavar a louça enquanto ele seca. Guardar a louça porque ele nunca sabe onde ficam as coisas.
Quero aprender a olhar a hora (haha), saber responder rápido, sem precisar escrever no ar, qual lado é o direito e qual é esquerdo.
Quero fazer planos. Quero não fazer planos também.
Quero ter braços fortes para me abraçar, corpo quente para me esquentar. Quero ter por quem e porquê voltar.
Quero ser ridícula! Me orgulhar de ser ridícula e ter alguém para se orgulhar comigo.
Quero ser amada de volta.
Quero amar grande.
Porque o amor é grande.
O amor é ridículo.
O amor é raro.
O amor é paradoxo.
O amor é inexplicável.
Ame grande também e talvez um dia você entenderá...

Um comentário: