quinta-feira, 15 de junho de 2017

Ainda não foi dessa vez...

Já era para eu estar em casa, atrasei terminando um relatório, quando pego meu celular para ver as horas tinha uma chamada perdida no telefone, era Gisele, uma história antiga e indefinida, queria simplesmente ignorar, mas não consigo, Gisele sempre teve esse poder, nos conhecemos a anos e nos encontramos pessoalmente pouquíssimas vezes, porém todas marcantes.
Atendi o telefone e fui surpreendido com um convite para "tomar umas", Gisele sempre foi de bebedeira, mas nunca de me chamar, aceitei o convite para ver onde isso iria dar (querendo que desse em alguma coisa ou lugar).
Chegando no bar foi bem difícil me entrosar com os amigos dela que eram falastrões, ao contrário de mim que sou bem tímido, mas o papo foi fluindo no decorrer da noite, e sinceramente por mais bacana que estivesse eu ansiava por um momento apenas meu e dela, por isso disse que ela poderia cancelar o Uber, pois eu a levaria em casa.
Fomos embora, a levei em casa e ficamos conversando no carro pra lá de duas da manhã, fiquei ali perdido em seus olhos procurando coragem e quem sabe uma brecha para beija-la, mas não encontrei nenhuma das duas e tive de vê-la partir em um lindo sorriso e um adeus frustrante para mim.
Ainda não foi dessa vez, quem sabe da próxima...

Nenhum comentário:

Postar um comentário