quinta-feira, 18 de maio de 2017

Hoje eu não estou boa

Hoje eu não estou boa, assim Bruna se sentia quando acordou, o ônibus parecia mais cheio que de costume, o clima mais quente, o café mais frio e o pão de queijo com gosto de borracha.
Chegou no trabalho em plena segunda sem dar “bom dia” a ninguém, e quando Hélio, seu colega de setor foi fazer uma de suas corriqueiras brincadeiras ela simplesmente o repeliu e disse que não estava “boa”.
Hélio ficou a pensar: E o que eu tenho com isso? Porque as mazelas pessoais de cada um podem ser prerrogativas para destratar alguém que só queria trazer um pouco de alegria a seu dia?
O dia se seguiu e Bruna acabou sendo rude com mais alguns de seus colegas e até com seu supervisor, alguns entenderam que o dia não estava fazendo por mal, pois apenas tivera um dia difícil, outros simplesmente se afastaram, os problemas de Bruna se resolveram e ela voltou com seu rotineiro sorriso no rosto, porém nem todos seus amigos conseguiram ser tão receptivos quão. Hélio era um desses, pois pensa que os problemas de cada um podem até ser divididos, mas nunca descarregados, pois Hélio é daqueles que acham que se nós simplesmente nos sentirmos no direito de sermos grossos por conta de um dia difícil o mundo será um completo caos, problemas todos temos, mas isso nunca foi e nem será prerrogativa para que os outros padeçam pelos nossos próprios dilemas. Pois como dizia Mario Quintana: “O problema dos problemas da gente é que ninguém tem nada com isso. ”
E o problema de Hélio que por ser tão reflexivo nunca mais conseguiu agir naturalmente com Bruna, ele nunca tocou no assunto e ela nunca foi bom em se desculpar, e assim a vida nos mostra que são as pequenas atitudes que fazem a diferença, tanto para o bem quanto para o mal, mas hoje não, porque hoje eu não estou bem...

Nenhum comentário:

Postar um comentário