quarta-feira, 24 de maio de 2017

A história de João e Julia

Nossa história começa com João acordando meio atordoado pois seu despertador não acionou, - caramba tenho só vinte minutos para não chegar atrasado no inglês! Pensou. Se arrumou apressado, passou pela cozinha tomou rapidamente seu suco de laranja e foi comento um pão de queijo no caminho até a garagem onde pegou sua bicicleta e saiu apressado, entretanto inevitavelmente chegou tarde na aula, adentrou a sala meio desconcertado ao perceber que a turma já havia iniciado, cumprimentou com um seco “Bom Dia”, sentou-se em sua carteira para acompanhar as aulas, para João as aulas de inglês eram muito divertidas e dinâmicas, a turma era bem unida e com o passar de quase dois anos João foi criando certa amizade com Júlia, que já conhecia de vista da antiga escola que tinha estudado no ensino fundamental e porque Julia era namorada de Paulo, que estudou com ele na segunda e terceira série do ensino fundamental na mesma escola, entretanto ultimamente João estava percebendo algo diferente, ele sentia um prazer diferente ao estar perto de Julia, era bom fazer as atividades com ela, as conversas que tinham sobre heavy metal e rock clássico, era difícil de explicar, só sabia dizer que era bom desfrutar da companhia de Julia, a ponto de chegar na sexta e pensar no que falar com ela na aula do dia seguinte, e essa sensação lhe causava um misto de alegria e temor, pois temia que pudesse ser paixão, e ele sabia que não podia se apaixonar pela namorada de seu amigo, e por tudo isso preferia simplesmente não pensar nisso de modo a esquecer isso, mas por outro lado também não conseguia se afastar de Julia, afinal quem conseguiria se afastar daquele lindo e acolhedor sorriso, perfume doce e inteligência afrodisíaca? Era simplesmente impossível, por isso ele se limitava apenas a desfrutar da amizade de Julia, mesmo temente que o que sentia fosse mesmo paixão e mais temente ainda que a mesma crescesse em seu coração.
Em meio a esse turbilhão de sentimentos João julgou que buscar uma companhia feminina seria a melhor forma de pôr à prova a existência de tais sentimentos, ledo engano, pois tudo que fazia era buscar o perfil de Julia nas mulheres com quem saia, o que só lhe deu mais certeza do que sentia, mas e aí? O que fazer, como proceder? Julia namora com Paulo, seu colega de tempos atrás, é não tem jeito mesmo, tenho que esquecer ela de qualquer forma, pensava ele divagando em seus pensamentos.
João até tentava levar seu plano adiante mas como fazê-lo se quando Julia olhava pra ele com aquele lindo sorriso e aquele perfume que penetra em sua alma num êxtase inexplicavelmente aconchegante onde ele esquecia de tudo que não fosse desfrutar de sua presença o maior espaço de tempo possível, foi quando se deu conta de que não precisava se corroer em duvidas e decisões quando poderia simplesmente desfrutar afavelmente de seus sentimentos sem esperar um feedback positivo, sem o medo do “não”, mas sim com o sabor adstringente da incerteza sem precisar se preocupar em engendrar planos mirabolantes para um futuro o qual nunca se sabe se de fato existiria, pois o que existe hoje o faz feliz e é isso que importa, a doce incerteza do agora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário