quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Doce Ilusão

Quando você acredita em algo e confia que vai acontecer, como você reage quando não acontece? Ou você não cria expectativas pra não se frustrar? Gostaria de não cria-las, mas elas me perseguem, grudam em mim.
Eu acreditava que talvez pudesse haver algo entre nós dois; "queremos a mesma coisa" ou "ele é perfeito pra mim"; e aí simplesmente não acontece, desanda. Nem um papo, nem uma boa conversa e aí as chances se esgotam, os olhares não se cruzam mais e as pessoas não imaginam mais vocês dois juntos. Eu disse que a esperança é a última que morre, mas isso quando se tem esperança, o que não é mais o meu caso, meu querido. E aí você nota que não significa nada pra pessoa e que quem criou a ilusão que a alimente, e eu alimentei demais.
Não culpo ninguém pelos meus planos fracassados. Eu acredito que a culpa de tudo é minha mesmo, eu assumo, então é como dizia Lulu "o que eu ganho e o que eu perco ninguém precisa saber".
O que eu acho mais difícil ainda é encontrar você todos os dias e não poder te abraçar nem chegar perto de você, te olhar e dizer o quanto eu gostaria de ficar te admirando sem julgamentos. Eu queria sim, sabe porque? Porque a cada dia eu sinto que você fica mais distante de mim; que o meu desejo de ficar perto vai me mostrando que a realidade é outra totalmente diferente. Eu me perco quando te encontro e o único lugar que posso ficar com você é nos meus sonhos. Ali você é meu, todo romântico. Você me manda flores e declarações, mas só ali. Na rua sou apenas mais uma, sou apenas alguém que você diz "Oi, tudo bem?"    e não passará disso. Nós sabemos. O mais difícil não é saber disso, é aceitar. Juro que gostaria que isso nunca tivesse acontecido mas não mandamos no nosso coração.
Enquanto isso fico aqui aguardando pelo próximo "Olá".

Nenhum comentário:

Postar um comentário