segunda-feira, 13 de novembro de 2017

Meu Amor


Sei que não deveria começar esta carta te chamando dessa maneira, há muito tempo você deixou de ser meu para ser de qualquer outra pessoa, mas é inevitável o pronome possessivo quando se trata de você.
Meu coração, que não bate da mesma maneira desde que você se foi, está gritando por redenção, mas como dizer a ele que você não volta mais, ou como dizer a ele que é melhor se acostumar com sua ausência? Hoje entendo que o coração é um órgão teimoso, mas burra mesmo é a minha cabeça.
Constantemente ela me lembra de você.
Aí ela começa a me pregar peças, vejo você no espelho, sinto seu cheiro pela casa, ouço sua voz… Talvez eu esteja ficando louca. Talvez seja só a saudade me fazendo uma visita.
E por falar em saudade, por onde anda você?
Será que conseguiu fazer aquela viagem que tanto queria? Será que está deixando a barba crescer? Será que ainda esquece de tirar as meias para dormir? Será que ainda se resfria quando muda o tempo?
Eu me lembro de ficar te importunando sobre o ventilador ligado, o pés descalços e o agasalho nas noites frias. Será que tem alguém fazendo isso por você?
E será que você criou coragem e fez aquela tatuagem? Será que você ainda esquece de colocar comida pro cachorro? Será que sua gargalhada ainda faz as pessoas morrerem de tanto rir?
Fico me perguntando se você ainda conversa enquanto dorme, e se ainda se recusa a usar a coberta mesmo no tempo frio, se sua samba canção preferida ainda está com aquele furo no bumbum, se você ainda toca violão nas tardes de domingo, e se você ainda me ama. Você ainda me ama?
Um dia, talvez, eu acorde e você não esteja mais no meu coração. Talvez eu me levante da cama e não olhe mais para o lugar vago que fica ao meu lado – este mesmo lugar que você ocupou por tanto tempo e que mesmo agora, longe de mim, ainda sinto como se te pertencesse. E ai eu só vou me levantar, me espreguiçar e ir tomar meu café. E por falar em café… Talvez eu não sinta mais saudade do seu café, de acordar com aquele cheiro delicioso que me invadia a alma todas as manhãs. Você sempre dizia que para que o dia fosse bom o café era primordial, desde então, eu que nem gostava de café me recuso a sair de casa sem tomar uma xícara. E neste dia, eu vou simplesmente preparar meu café sem comparar com o seu, ou quem sabe eu só esqueça esse habito de café e resolva tomar um suco? Vou andar nas ruas sem desejar me esbarrar com você a cada esquina que virar, ou sorrir para as pessoas sem esperar que você esteja me vendo sorrir. Vou parar de procurar você nos homens que eu conhecer, parar de desejar que todos eles sejam você, parar de me privar de receber um amor, que não seja o seu.
Talvez neste dia, que meu coração não te pertencer mais, você se lembre de mim. Se esbarre comigo na rua e torça para que eu te reconheça, e se dê conta de que você foi burro demais por me deixar te esquecer assim. Afinal, a gente só deseja o que não pode ter. Não é assim que falam?
Mas até esse dia chegar, venho te avisar, que meu coração te espera e quer te esperar. Tomara que você não demore.
Porque se demorar, meu amor, só me mostrará que seu amor nunca foi meu.

Termino esta carta com todo meu amor, que sempre será seu.

Espero sua volta para casa.

terça-feira, 7 de novembro de 2017

Me escolhe.

Escolhi um vestido, mas não ficou bom. Lembrei de você tirando meu vestido naquela terça feira de cinema. Queria que você arrancasse meu coração. Queria eu poder arrancar meu coração. Enfiar a mão lá dentro do peito e puxar ele. 
O céu hoje está bonito, eu queria que você estivesse aqui. Imaginei a gente namorando sobre a luz da lua e contando histórias engraçadas só para escutar a gargalhada um do outro. Mas você está longe. E o que eu faço com a saudade?
Queria não te escrever mais nada. Queria não te endereçar minhas indiretas. Mas em cada uma delas eu peço para que você cuide de mim... Uma pena você não conseguir enxergar. 
Eu pedi a Deus você de presente, sabia? Em uma noite, eu pedi que Deus me trouxesse alguém que fizesse tudo valer a pena. Que arrepiasse cada pêlo do meu corpo. Que dilatasse minhas pupilas. Alguém que sorrisse com o coração, mesmo quando tem cara de bravo. Alguém que quando falasse comigo acalmasse minha alma. E então você chegou! 
A mão que segurou a minha naquele bar abalou minhas estruturas. Você abriu a porta do carro na hora de ir embora como quem dissesse: Vou abrir pra você voltar mais vezes. E eu pensei que não voltaria mais. Mas voltei. E volto quantas vezes você me chamar, nem ligo se você não abrir a porta, eu mesma abro. Só preciso que você me queira. Só preciso que você me escolha. 
Me escolhe, vai?! Deixa eu te mostrar que comigo é mais gostoso. Que você pode até encontrar alguém mais bonita que eu, mas que só eu vou fazer piadas de coisas idiotas para te fazer sorrir. Deixa eu te mostrar que eu vou estar aqui para te dar colo quando a saudade apertar. Deixa eu cuidar de você. Fazer cafuné, massagem. Deixa eu cantar desafinada para você. Deixa eu te mostrar minha cara amassada nas manhãs de segunda. Deixa eu escrever sobre você. Deixa eu escrever só sobre você. Deixa eu te convidar para o almoço de domingo aqui na minha casa. Cansei de ser sua companhia de sexta, deixa eu ser seu amor de domingo? Deixa eu comprar um filme pra gente assistir no sofá juntinhos? Deixa eu conhecer sua cama? 
Deixa eu falar sem parar só pra você me interromper com um beijo? Deixa eu emburrar por ciúme só para te ouvir dizer que sou a mais linda para você? Vai, me deixa ser uma das partes bonitas da sua vida. Me deixa usar sua camisa. Me deixa usar vestido sem calcinha para te provocar. Me deixa marcas, mas não porque você tá com tesão, mas porque sou sua e de mais ninguém. 
Deixa eu descobrir seus medos... além daqueles que eu já sei. Deixa eu sonhar com você. 
E se nada disso funcionar, se você não aceitar, se não for o bastante para te fazer pensar e mudar de ideia: Me escolhe, e me deixa te fazer feliz?!
Hoje eu pedi pra Deus não tirar você da minha vida, tomara que a vontade dEle coincida com a minha! 

quarta-feira, 25 de outubro de 2017

Vão do Vagão

Ai droga! Me desculpa?  ela disse depois de pisar no meu pé.
O que? Desculpa? Magina, que isso! O que é um pé perto de um coração?
Não disse nada, apenas a olhei e sorri, mas minha alma quis dizer muita coisa para ela, e como fazer isso sem que ela pensasse que eu tinha problemas?
É que quando a olhei foi como se eu não pensasse em que velocidade estávamos, por que estávamos ali de certo modo parados em relação ao outro. Foram os seus olhos castanhos que me prenderão ou sua pele morena que me fez desejar toca-lá?
E sim, eu super disfarcei, eu olhei para um lado e para outro, mas entre a esquerda e a direita lá estava o meu foco, era ela.
Então foi no cacho do seu cabelo que eu vi o desenrolar da nossa história: Ela me contaria talvez sobre um irmão ou uma irmã e suas brigas, me contaria as coisas mais bestas de sua vida e sem sombra de duvida ela me contaria sobre o seu primeiro PT. 
Eu a levaria para comer, seriamos daqueles casais lindos que ficam obesos enquanto assistem aquele seriado nada haver da Netflix. Tiraria aqueles cinquenta minutos do meu dia para zoar ela, dizer cada um de seus defeitos, eu riria deles e sem duvida ela iria fazer aquele drama de criança mimada, iria olhar para mim e com uma voz extremamente aguda dizer "Para cara! Não sei porque eu te namoro. Sério!", e no fim, depois de deixar ela louca de raiva eu teria aquele resto de vida para ama-lá.
A porta se abre e naquele momento nos olhamos, como se ela também implorasse para que eu não saísse por aquela abertura mundo afora. Confesso que meu mundo agradeceu a todos os deuses quando a porta simplesmente se fechou. Peço o numero dela? Talvez? Não, melhor não.
Seriamos aquele casal de Facebook meloso e incomodo, me desculpe, mas é que ela é tão linda. Eu com certeza tiraria foto dos olhos dela ao lado dos meus, porque não importa se os dela não são claros como os meus, o que importa é a profundidade deles, e ela era um mar de olhares.
Eu faria de tudo por ela, mas ela me parece não estar interessada. Ela me olha vez ou outra entre essa floresta de pessoas, mas talvez seja constrangimento pelo pisão, não no pé, mas na alma.
Então acho que tenho que me arriscar. E se os seus olhares forem, mais profundos do que cansados? E se seus lábios forem mais artísticos do que arte? E se a sua alma for mais cor para a minha? Então, vamos lá, no três.
Um, dois...
Espera, eu preciso de um sinal, destino, sei lá. Por que eu não sou mais fácil? Vamos fazer assim, se essa porta se abrir e ela sair então era isso, seriamos péssimos juntos, pior casal, brigaríamos todos os dias e cinquenta minutos para falar mal dela seria pouco, mas se ela ficar, então eu estarei preparado para encarar-lhe olho no olho, alma na alma.
Ao desembarcar cuidado com o vão entre o trem e a plataforma.
Do que se trata esse vão exatamente? Claro que fisicamente seria o buraco entre o trem e a plataforma, mas naquele momento o trem era eu e a plataforma era ela, e aquele vão que ficou entre a gente, o que eu poderia fazer?
Ela estava lá e eu aqui, eu poderia correr até ela, mas a porta com toda certeza fecharia, rompendo o ar, o chão, a vida e o pisão. Aquele vão, maldito vão entre nossos corpos, maldito ar, maldita porta, maldito destino. Não havia como ter cuidado, eu cai e fui esmagado.
É difícil acreditar em quão ruim seriamos, éramos incríveis juntos, mas talvez se eu vagar pelos vagões...

sábado, 21 de outubro de 2017

Oi moça


É madrugada, minha janela aberta deixa um vento frio adentrar meu quarto, um vento tão frio quanto meu coração, desde que ele partiu. 
Eu me levantei, abri meu guarda-roupa tentando encontrar algo quente para usar, e tudo que enxerguei foi aquele moletom velho dele dependurado em um dos meus cabides, aquele moletom que ele esqueceu aqui depois de descobrir um furo embaixo do braço esquerdo. Aquele moletom que eu sempre usava para ele, geralmente sem nada por baixo. 
Avisa pra ele moça que o moletom ainda está aqui, avisa que eu ainda uso nas noites frias, e algumas vezes até uso nas quentes só para sentir o calor dele mais uma vez perto de mim. 
Avisa pra ele moça que eu não lavei o moletom desde a última vez que ele usou, e que o cheiro dele ainda continua aqui, fraco, mas tão vivo quanto o amor que sinto. 
Depois de me aconchegar dentro do moletom, eu caminhei até a sala e vi um porta retrato com a foto dele ao lado da televisão. 
Conta pra ele moça, que todas as noites de insônia eu sento nesse sofá e fico admirando o sorriso que ele deu naquela foto, remoendo as lembranças daquele dia na minha cabeça, e repetindo a mim mesma que éramos felizes demais para terminar assim. 
Conta pra ele moça que eu ainda abraço aquele porta retrato e choro em silêncio me perguntando se ele também sorri desse jeito para você. 
Não me leve a mal, eu quero que ele seja feliz, quero muito, mas é que é difícil aceitar que não faço mais parte da felicidade dele. 
Me apego aos pequenos detalhes, as pequenas coisas que ele deixou para trás quando se foi. E quando sinto muita saudade dele eu ouço um dos áudios antigos que ele me deixava no WhatsApp. 
O último, em particular, é o que eu mais gosto, ele descreve uma série de atividades pra eu não esquecer de fazer e no final ele diz: "Não esquece de me amar, porque eu te amo muito...". 
Diz pra ele moça, que eu não esqueço de amá-lo nem um segundo se quer, mas que parece que ele se esqueceu, em algum momento, de me amar de volta também. 
O coração é uma coisa estranha não é? Parece que o peito vai explodir de amor, e a gente fica se perguntando como isso é possível, como é possível amar tanto alguém a ponto do peito querer explodir. Não sei a resposta, mas sei que quando ele entrou em minha vida eu vivia em uma constante sensação de morte por aceleramento de coração e eu pensava que morreria de amor, e hoje moça, a sensação é de parada cardíaca. Parece que depois que ele me deixou, a qualquer momento meu coração pode parar. 
Que digam por aí, se isso acontecer, que eu morri por amor. 
Uma infinidade de horas se passaram, o sol já nasce no horizonte quando decidi me levantar e caminhar novamente até meu quarto, embaixo da cama tem uma caixa com todas as coisas que ele deixou para trás, além de mim. 
Pego essa caixa pela centésima vez nesta semana. E pouco a pouco começo esvaziar. Quisera eu, que pudesse fazer isso com meu coração. Mas não. Depois de ver todas as coisas dele espalhadas na minha cama, eu começo a guardá-las novamente, um ritual que eu pratico sempre que abro a caixa. 
Uma gravata, a primeira gravata que eu tirei dele, na primeira noite que fizemos amor. Conta pra ele moça, que a gravata não sumiu, eu disse que ela havia sumido naquela manhã, mas era só para ter o que guardar de lembrança, já que eu pensava que não o veria novamente. 
Um pedaço de papel com a letra dele, conta pra ele moça que no papel tem um lembrete dele para não esquecer de tomar o remédio de gripe na hora certa. Pergunta ele, se ele não se esqueceu de tomar o remédio na hora certa, caso ele esteja gripado. Não esquece moça, pois ele já é esquecido demais. 
Um DVD do Rocky. Você aprenderá logo que o filme preferido dele também será o seu. Diz pra ele moça, que eu achei o DVD jogado embaixo da cama depois que ele foi embora. 
Um CD do Red Hot que ele esqueceu dentro do toca discos. Moça, fala pra ele que eu cuidei direitinho do CD pra ele, pois eu sei o quanto ele é cuidadoso com os objetos de coleção dele. 
Tem até um chinelo que ele largou dentro do banheiro, ele está pregado com grampo em baixo porque havia arrebentado.
Moça, fala pra ele que eu guardei tudo, e que eu rezo para que ele venha buscar um dia desses, e se por acaso eu couber no carro, que ele me leve junto também. 
A vida sem ele não tem mais cor.
Mas moça, se por acaso ele não vier, diz pra ele que eu continuo aqui, e se a esperança é a última que morre ela está tão viva quanto eu. Diz pra ele moça, que o Lucky está sentido a falta dele, que ele não gostou da ração nova que eu comprei, e que todas as noites ele fica sentado de frente ao portão esperando ele chegar. 
Enquanto isso, pergunta ele moça, se ele está cansado, e lembre-se de fazer uma massagem antes de dormir. A comida preferida dele é Lasanha, mas ele não dispensa um japonês. E a cerveja que ele gosta de beber é a Budweiser. 
Ô moça, não esquece de torcer pro time dele ganhar, mesmo que ele saiba que no fundo você só está fazendo isso por ele. 
Ele não gosta de doce, então não se preocupe com sobremesas, ele prefere os salgados. Ele não gosta de surpresas também. Ele diz que odeia criar expectativas. 
Se ele estiver com ciúme mostre que você não se importa com ninguém além dele. 
A cor favorita dele é vermelho, e ele odeia verde e amarelo. 
Moça, ele não come tomate, nem cebola. 
E ah, já é ia me esquecendo, ele gosta de carinhos nas costas, não esqueça disso. 
Por último, conta pra ele moça, que eu sinto saudade todos os dias, mas que eu aceito as escolhas dele. Aceito ele escolher você. 
Se cuida e cuida dele, por você e por mim. 



quarta-feira, 18 de outubro de 2017

É que...

É que ela acordou e seu primeiro pensamento foi aquele ato babaca de um ser idealizado. É que ela se questiona sobre o motivo de ainda estar viva. Digo que é porque ela sente nojo de si, quando deveria sentir nojo de outro. Afirmo que é porque ela acha que é o fim, quando é apenas um recomeço. Grito, de forma irritante, “é que ela não sabe de nada”.
É que ela acha que não se encaixa mais aqui, não aqui, mas aqui, ali e acolá. Ela acha que ninguém serve, ninguém presta, ninguém é confiável. Ela crê que a vida já passou. Ela acostuma-se a caminhar de mãos dadas com a morte, amanhã ela então lhe dará a outra, no dia seguinte o pé esquerdo e depois o direito, até que chega o dia do seu coração, e quem saiba nem na morte ela confie. Sempre desconfie.
Ela acha muita coisa, mas achar não torna nada um fato.
É que ela não sabe que haverá tempos piores. É que ela não sabe que a terra da garoa já não pode mais abriga-lá. Ela não percebe que a cidade de impérios caídos já não tem o mesmo gingado, e ela nem imagina que está no lugar errado.
É que amanhã ela será ateia e depois cristã, um dia será deísta e depois nem eu sei. Ela vai sair da faculdade e escrever belos textos, é que ela vai ser lida. Ela vai voar.
É que ela vai encontrar seu lar em um doce carioca. Ela vai amar o seu jeito engraçado de falar, aquele "x" no meio dos "s". É que ele vai lhe dar amor e confiança. E pela primeira vez ela vai conhecer a pureza da alma, o encanto da magia e o mel da infância.
É que ela nem acha e nem acredita que esse cara exista, mas ele está lá, em uma janela enferrujada olhando o Cristo Redentor, fazendo suas rimas de quebrada e apaixonadas, sonhando com o dia em que viverá de sonhos, e tendo a certeza mais do que correta de que será real. Te digo muito mais, é que ele também acha muitas coisas, mas ele acha que suas rimas preciosas já tem uma dona e ela acordou hoje pensando naquele ato babaca de um ser idealizado.
Eu sei e entendo que o tempo pode até nao curar nada, mas te faz esquecer muita coisa.

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

PORQUE ELE É DE PEIXES



É fácil reconhecer um pisciano: Olhos pesados, cabeça nas nuvens e um sorriso de matar.
Sim, ele é capaz de te fazer esquecer qualquer problema com aquele sorriso farto e as piadas que só tem graça quando contadas por ele.
Capaz de esquecer os problemas dele para te ajudar a cuidar dos seus, e só quando você estiver com tudo sob controle é que ele volta para o mundinho dele. Esse é o cara de peixes.
Tenho certeza que em algum momento você já se apaixonou por um, e se não se apaixonou, com certeza, ainda irá. É inevitável. Eles chegam com aquela cara de bom moço, os pés tão fora do chão que você pensa que ele vive no mundo da lua, e ele vive. O homem de peixes tem seu próprio mundo, suas próprias teorias, e acredite se quiser, mas ele tem uma persuasão inigualável por isso consegue tudo que deseja, mesmo que ele tenha que lutar um pouco mais para conseguir, ele luta. Ponha em mente que, piscianos adoram um desafio. Se você for um, ele vai tentar até te desvendar e mesmo que você julgue impossível, ele conseguirá.
Ele vai te contar um milhão de histórias, sobre ele, sobre a cachorra dele que nunca cruzou, sobre a vez que ele fez uma viagem escondido dos pais, sobre as loucuras que ele aprontou na adolescência… De repente você virará noites com ele, rindo e contando tudo sobre você, sabendo tudo sobre ele – ou, pelo menos, a parte que ele queira que você saiba. No telefone, no WhatsApp, pessoalmente, não importa o modo desde que você estejam conversando sobre tudo sempre.
Ele é o cara das histórias, não se esqueça, e ao lado dele você viajará para todos os lugares possíveis, quando se der conta, você também estará tão no mundo da lua quanto ele. E ai, já era.
Se você entrar no mundo de peixes, dificilmente você sairá de lá com o coração intacto. Não que ele seja um destruidor de corações, mas, o homem de peixes tem uma facilidade muito grande em apegar e desapegar, e talvez você não esteja pronta para desapegar quando ele estiver.
Ele gosta da conquista. Lembra o que eu disse sobre o desafio? Não se sinta especial se esse cara te mandar flores no meio do seu expediente de trabalho, ele é um conquistador, o famoso Don Juan, e vai tentar de todas as maneiras até conseguir o que quer. Talvez a culpa de você cair na tentação seja do beijo. Que beijo! Ele é daqueles que sempre faz pirraça antes de te beijar, morde, lambe, faz que vai beijar e não beija, mas na hora de beijar ele abre aquele sorriso insuportavelmente delicioso e te beija. Beija com tanta intensidade, com tanta delicadeza, com tanta vontade, que você até acredita ser o amor da vida dele naquele momento, mas não se iluda, é só o jeito dele beijar mesmo.
Dificilmente você esquecerá o beijo dele. Com certeza ele estará na sua lista “TOP 10” de melhores beijos.
Ele é intenso, Chris Martin (Vocalista do Coldplay) que o diga. Está sempre com os sentimentos a flor da pele, não consegue disfarçar quando está com raiva, com ciúme ou com preguiça de qualquer que seja a situação, e ele nunca manda recado. Ele fala o que pensa. Fala o que sente vontade. Não importa a hora ou o lugar, ele fará com que você saiba que ele não gosta da pessoa com quem você está conversado, ou que você saiba que ele não gostou de alguma atitude sua.
Eu costumo dizer que o homem de peixes não se apaixona com facilidade, embora ele se apegue com facilidade. Sei que parece difícil de entender, mas apego não é amor. Porém quando esse cara se apaixona… Você com certeza vai se sentir a mulher mais desejada, amada e feliz que existe. Ele sabe como fazer as coisas. Ele sabe como fazer você se sentir especial.
É UM ÓTIMO AMIGO. Vai te defender com unhas e dentes, e ele sempre estará lá, e sempre que você precisar de um ombro amigo, de um humorista sem graça para te fazer rir, de um viajante para te fazer companhia, de um sonhador, de um contador de histórias mirabolantes… Ele estará lá.
Sorte tem mesmo as pessoas que tem a chance de ter ele como amigo.
Ele ama como se não houvesse amanha. Será? Talvez vocês só tenham uma relação de uma semana, mas com tanta paixão capaz de superar qualquer casamento de décadas. Tudo com ele é um pouco mais. Fica um pouco mais no trabalho, pois precisa terminar o projeto até o fim da semana. Um pouco mais no bar, afinal a promoção da Budweiser está acabando. Um pouco mais na sua vida porque por mais clichê que pareça, uma eternidade ao seu lado não é suficiente. Esse cara, vai bagunçar seu coração de uma maneira que só ele consegue, e depois você vai passar o resto da vida tentando arrumar uma bagunça que só ele é capaz de arrumar. É, ele é daqueles que você não esquece.
Depois de conhecê-lo, não importa se ele partiu seu coração, ou não, ele jamais será apenas um conhecido ou passará despercebido por você. Ele será um amigo, um confidente, uma paixão reprimida, um companheiro para as loucuras que você não tem coragem de fazer sozinha, um pedaço da vida que você gostaria de ter, um porto seguro, uma saudade… Ele com certeza será uma saudade. Uma saudade acompanhada a qualquer uma das opções que citei acima, mas uma saudade. É impossível não sentir saudade dele. A parte boa é que quando ele voltar – ele sempre volta – ele vai tratar de colocar tudo no lugar, mostrar que continua o mesmo e deixar mais saudade quando for embora novamente.
Ele vai te ensinar a ver sempre o lado bom da vida. Você vai aprender que bom mesmo é viver perto dele.
Ah se eu pudesse entender a mente de um pisciano… Talvez a graça resida exatamente nisso, não conseguir entender, e mesmo assim permanecer ao lado dele.

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Morto vivo

Já sentiu o coração bater bem forte a ponto de parecer que rasgará o seu peito?
Já amou alguém que se foi?
Já chorou?
Já sofreu por amor?
Já deixou de fazer algo por medo ou quem sabe por apego?
Ja mentiu sobre você para outro alguém amar o seu outro você?
Já viveu intensamente? Externamente ou mentalmente?
Já sentiu sua alma correr para longe e te deixar oco?
Já se perguntou como é nao respirar mais? Não estou falando sobre afogar-se ou ter CO2 contagiando os seus pulmões, tambem não falo sobre prender a respiração por alguns segundos. Estou falando sobre o fim.
Já se perguntou como será o fim? Como é ser encaixotado? Já se perguntou como é estar morto? 
Bem, se você nao sabe a resposta das nove primeiras perguntas, então você sem dúvida sabe bem de cor e salteado as ultimas quatro perguntas.
E aí, chegou a hora de parar de brincar de morto ou vivo, e decidir qual deles você é.